Escrito por Tendenzias

Dicas para decoração com espelho!

A primeira coisa que vem à cabeça quando se fala na utilização de espelho em arquitetura de interiores é a sua função primordial: refletir imagens. Há, também, quem lembre da possibilidade de usar o espelho para simular um aumento no espaço.

O uso de espelhos em banheiros e quartos são exemplos do espelho utilizado em sua função de refletir imagens. “Eu lembro que antigamente, os carros subiam a Rua Espírito Santo. E o cruzamento com a Santo Antônio era perigoso. Eles colocaram um espelho convexo para que os motoristas na Espírito Santo vissem os carros na Santo Antônio. Isso é um aspecto funcional, aliado à forma”.

A forma pode definir as sensações e qualidade de um espaço. Lourenço fala sobre a Sala dos Espelhos  e os  do Palácio de Versailles, e o Jardim dos Espelhos – espelhos d’água – no Parque de la Villette, ambos em Paris. “São arquiteturas paradigmáticas, em que os visitantes ficam cercados por espelhos, utilizados de uma forma quase lúdica e irônica”.

E por falar em espelhos d’água, os parques e palácios utilizam bem este recurso. Brasília, por exemplo, aliou a beleza do reflexo a necessidade de um ambiente úmido. O fundo deste espelhos naturais, normalmente, são escuros para refletirem melhor a paisagem.

A técnica é o terceiro ponto a ser analisado em um projeto arquitetônico. No comércio, os argumentos técnicos prevalecem, porque o uso do espelho é uma forma de mostrar ao cliente os produtos, por vários ângulos, ao mesmo tempo. “As lojas de jóias, que possuem produtos pequenos, usam o espelho a seu favor”, diz. Em shoppings, deve-se tomar cuidado com a quantidade de espelhos, para não causar multiplicidade de sensações.

Leia outros de nosso blogs!

http://modaeroupas.com/
http://tarotevidencia.com/
http://gravidezbebes.com/

Lo más interesante
Top 6
artículos
Síguenos